09/05/2019

Governo reduz linha de crédito e declara aumento de juros para o agronegócio.

O governo federal, por conta do ajuste fiscal e a mudança de eixo ideológico, sinaliza redução dos subsídios para todo o setor de agronegócio.

O BNDES declarou nesta semana que suspendeu o repasse de verbas para investimentos já previstos anteriormente ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o financiamento que em março foi declarado como suspenso, tinha sido renegociado para se consolidar no mês de maio, a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) promoveu um cenário desanimador, apresentando o montante de R$ 800 milhões não repassados aos produtores, além disso, o governo de Jair Bolsonaro (PSL) deixou de repassar ao menos R$ 6 bilhões dos R$ 30 bilhões anunciados para a safra 2018/2019 da agricultura familiar.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, alerta que um "desmame" radical dos subsídios pode desarrumar o agronegócio, que responde 1/3 do PIB do País. "Vamos quebrar a Agricultura? É esse o propósito? Tenho certeza de que não é", diz a ministra. Tal diminuição já se evidenciava como eminente, mas, mas as mudanças de crédito no segmento podem promover um cenário positivo a longo prazo, com a maior competitividade no oferecimento de crédito rural, que poderá promover condições de crédito com taxas e prazos mais atrativos e flexíveis com a introdução de novos investidores entrando no fornecimento de crédito. 

undefined


Quando questionado em entrevista sobre a previsão de aumento na taxa de juros para produtor rural conferido aos financiadores tradicionais, o Eduardo Sampaio, Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura
falou sobre haver chance das taxas de juros do Plano Safra subirem mesmo com manutenção da taxa Selic, e declarou que não existe certezas. “ Estamos estudando, não há certezas. As taxas de juros de alguns programas, não dos pequenos produtores, talvez o custeio do grande e alguns programas de investimento aumentar um pouco” disse.

por Thais Martins