11/07/2019

Estratégias para comercialização de café.

Conheça estratégias para promover melhor rentabilidade e segurança no momento de comercializar sua produção.


- Estratégias de comercialização

 O Brasil lidera a produção mundial de café, e além disso concretiza um consumo enraizado na população, mas, para perpetuação desta cultura de forma crescente é necessário aos cafeicultores a implantação de estratégias de competitividade, produtividade e comercialização. Neste texto abordaremos estratégias de comercialização e maximização de lucros para o cafeicultor que promove essa cultura, e já se encontra habituado a bienalidade, gestão de produção e pragas do cafeeiro, mas, técnicas de promover maior eficiência na comercialização são atualizadas de modo constante, e  é ideal se manter em renovação, para obter o melhor resultado financeiro após a colheita, pois é neste momento que todos esforços se tornam recompensa. 


- Venda fixa antecipada ou comercialização na colheita.

Muito se fala sobre eleger o meio mais rentável de comercialização, uma pesquisa realizada pela CNA indicou que quase 60% dos cafeicultores no Brasil escolhem comercializar no momento da colheita, mas, nesta realidade corre-se o risco de ter uma variação financeira não prevista, deu exemplo José Vitor, Diretor do PROCAFÉ “o melhor é fixar a preço futuro para cobrir os custos, o restante poderá optar para vender no físico, exemplo, em 2020 quem irá colher 1.000 sacas, que é uma média, o preço fixo futuro para 2.020 hoje está R$500,00, então poderiam comercializar 400 sacas para ganhar R$200.000 mil, que é o valor do custo, se a pessoa acha que este é um bom valor, pode fixar uma maior quantidade de sacas”, contou a Nagro, tal escolha deve variar caso a caso, analisando quais compromissos futuros foram assumidos, talvez seja benéfico fixar o valor futuro concretizando o pagamento dos custos de produção, ou realizar a venda física em cenário onde os custos já se encontram quitados, com a consciência que o preço da saca obterá variação que pode se demostrar positiva ou negativa perante o preço fixado ou vendido, certamente não se tem uma resposta definida para tal questão, valerá a pena “pagar para ver” o preço no momento da comercialização? Ou garantir seus compromissos financeiros com a venda futura?undefined

Ainda sobre venda futura conversamos com um produtor rural na região de Monte Carmelo – MG com mais de 33 anos na atividade que defende, “normalmente o mercado futuro  é sempre maior que físico, e eu tenho tentado fixar preço de soja por exemplo e de milho, mas o mercado não é tão benéfico quanto o de café que historicamente tem se demonstrado a melhor opção de comercialização, então eu travo a venda no café, porque é uma mercadoria de melhor valor, o grande trunfo é fazer a média certa, vendi 500 sacas no mercado futuro a R$430,00, mas agora a saca está R$450,00 reais, foi uma maneira de me proteger e isso pagou todos os custos de insumos e irrigação,  assim, 80% do meu custo de produção já está pago independente da variação do mercado, eu tenho muitos amigos que quebraram esperando venda no momento da colheita”, relatou.


- Estabeleça sua margem de lucro

É necessário sempre estar atento a margem de lucro para prever a rentabilidade, e promover uma média de valores para venda futura ou no mercado físico, como nos relatou Valter, produtor rural, “temos o custo de implantação e o custo de produção que é calculado a partir de 12 meses que antecede a primeira colheita, planilhamos no excel, mas, você pode adotar uma metodologia de análise, ou de vários programas disponíveis,  por exemplo, você compra um trator e amortiza ele em 10 anos e deixa 5% de valor residual, normalmente se calcula a depreciação ao passar dos anos, porém em alguns anos tivemos uma apreciação, pois o valor estava mais alto que o do ano anterior, então eu calculo tudo isso no valor do meu patrimônio” contou,  essa estratégia demanda gestão, planejamento e acompanhamento de custos, promova o seu custo de produção, estabeleça uma margem de lucro, e se tranquilize que independente da variação de preço da saca você estará lucrando.


- Use suas vantagens competitivas

Volume de venda sempre concede poder de barganha, quando a operação é realizada em uma única vez em grande volume você poderá obter um preço maior por saca, e uma sugestão é após a finalização da venda escalonar a entrega de acordo com a demanda necessária, evite fazer estoque desnecessário na propriedade. Forme parcerias e fortaleça o mercado. Como se diz, “ninguém consegue acertar no olho da mosca”, o mercado é incerto e nem os melhores analistas pautados de todas as informações disponíveis conseguem se adiantar e prever as crises e reviravoltas dos mercados, então não se aconselha a manutenção de estoque, ou a espera da alta de preço para concretizar a comercialização, como já mencionado se sugere a venda antecipada da maior parte da produção quando se tem custos a serem pagos.


- Capital Imobilizado

Quando é necessário manter peças e produtos em estoque por algum tempo sem utilização o estoque é considerado capital imobilizado, ou seja, não se encontra em manuseio atual, essa ação pode ser quantificada para determinar o “prejuízo” de investimento dos itens que não estão em serviço, é um dinheiro que se encontra parado e poderia ser investido de outras formas para aumentar ganhos, se sugere uma análise para promover apenas o essencial em capital imobilizado, sem afetar a produtividade da lavoura, afinal produto é dinheiro, e não se deixa dinheiro parado.undefined

O café é de suma importância para economia, além de ser uma paixão nacional, e para o cafeicultor é necessário estar sempre estar atento ao mercado, garantido maior lucratividade e qualidade de sua produção, não existe formula exata, mas sim, decisões estratégicas com objetivo de melhorar a cada safra.


por Thais Martins