20/09/2019

Fertilidade de solo

A fertilidade de solo irá impactar diretamente na qualidade de produção da lavoura, e é por isso que se torna tão importante seu controle e investimento.

Um manejo de forma correta pode ser considerado responsável por grande parte do aumento de produção, ou mesmo pela qualidade do grão colhido. A medição de fertilidade e sua avaliação são fatores determinantes para aplicação correta de agentes para nutrição de solo, o controle do enriquecimento será sinônimo de alta produtividade.

Alguns fatores são determinantes na tomada de decisão do produtor rural, como a análises de solo, adubação verde e cálculos mediante a quantidade de materiais a serem utilizados, ocorre que, nem sempre essa avaliação representa um critério homogêneo do total da lavoura, pois muitas vezes os solos podem ser distintos mesmo se encontrando na mesma fazenda.

O planejamento é essencial para compor um orçamento sem falhas, fazendo com que não haja custos em excesso. Destinando a cada área especifica a quantidade de produtos necessários a fim de que, se concretize a fertilidade do solo da forma mais homogênea possível, aumentando a produtividade ao final da safra em toda a lavoura de forma considerável pois o uso contínuo de fertilizantes, inseticidas, fungicidas, herbicidas e um manejo de solo inadequado pode perturbar o equilíbrio do solo e, consequentemente, sua fertilidade, os solos brasileiros são ácidos, mas podemos modificar e resolver esse limitante pela calagem.

Assim, trouxemos algumas dicas para realizarmos o exposto acima, com objetivo de auxiliar o produtor rural na construção de um planejamento assertivo:

undefined

- Produtividade:

Analise a produtividade de safras passadas, se possível por hectare, e avalie se existe alguma parte da lavoura que está produzindo com acentuação muito diversa de outra, essa diferença pode ser fruto da desigualdade de fertilidade do solo.

- Fertilizantes:

Cada cultura necessita de um cálculo diferente, compondo necessidades de nutrientes e desenvolvimento diverso das plantas, especifique com seu agrônomo avaliando quais fertilizantes para enriquecimento de solo são mais utilizados, também o nível de adubação para seu próximo cultivo para obter bons resultados, planilhe o proposto para após aplicação confirmar se o planejamento foi assertivo, dessa maneira você sabe exatamente qual foi seu manejo, podendo revisá-lo depois, e também com o que seu dinheiro foi utilizado.

- Solo:

Conheça a fundo o tipo de solo e as tendências que resultam em diferentes tipos de manejo, como os solos arenosos que tem seus nutrientes lavados com maior facilidade, se mostrando mais eficiente a realização de adubação de forma parcelada. Para saber seu tipo de solo, além da observação em campo, é interessante coletar amostras e fazer uma análise física.

- Calagem:

Como já mencionado, a maioria dos solos no Brasil são naturalmente ácidos e pode ser necessário a utilização de calagem, que é uma etapa do preparo do solo para cultivo agrícola na qual se aplica calcário com os objetivos de elevar os teores de cálcio e magnésio, neutralizar o alumínio trivalente e corrigir o pH do solo, para um desenvolvimento satisfatório da cultura.


- Proteção:

Proteja seu solo, o cerrado brasileiro já foi considerado um solo com produtividade baixa, sabemos hoje que essa percepção estava errônea, sendo atualmente considerados os mais produtivos graças às tecnologias empregadas no solo, o manejo conservacionista do solo, especialmente o plantio direto e a calagem, foi um dos principais fatores para que isso se tornasse realidade, proteja seu solo com cobertura, como restos vegetais, que protege m o solo da erosão, da perda de água e de temperaturas extremas.


O preparo convencional do solo acelera a decomposição da matéria orgânica, enquanto a falta de cobertura de solo facilita a erosão. Primeiro porque o cultivo de outra cultura que não sejam aquelas que a área recebe toda vez, ou seja, a rotação de culturas é benéfica na quebra de ciclo de pragas e doenças. Esse cultivo também cria macro e microporos. Isso ajuda na aeração, retenção de água e maior exploração das raízes no solo.  Tudo isso pode resultar em ganhos incríveis de produtividade.

por Thais Martins