04/09/2019

Funcafé totaliza R$4,3 bilhões e aumenta os agentes capacitados na entrega do recurso.

A entrada de mais 5 agentes financeiros ao repasse do Funcafé demostra otimismo ao setor cafeeiro.

O Funcafé (Fundo de defesa da economia cafeeira) é a principal linha de crédito concedida aos cafeicultores no Brasil, ela permite a utilização em todas as etapas da safra, no custeio cobre tratos culturais, aquisição e aplicação de insumos, mão-de-obra e operações com máquinas, na colheita supre etapas como aplicação de herbicidas, secagem, transporte para o terreiro e maior contratação de pessoal, podendo ser adquira também na estocagem para o armazenamento do grão.

undefined

Nesta última semana, foi publicado pelo Conselho Nacional do café (CNC) a entrada de mais 5 contratos com objetivo de operar o recurso, totalizando no momento 25 agentes capacitados pelo Ministério da Agricultura ao repasse deste capital destinado à cafeicultura no Brasil, tal repasse totalizou até o momento R$4,3 bilhões de reais. O presidente da entidade, Silas Brasileiro, destacou o trabalho junto à ministra Tereza Cristina para agilizar o processo.

“Diante da demora para o lançamento do Plano Safra, fato que retardou o trâmite para o início da liberação dos recursos do Funcafé, mantivemos reuniões com o Mapa, que demonstrou conhecimento da realidade e também sua parceria com a atividade cafeeira, possibilitando que essas instituições pudessem, o mais rapidamente possível, disponibilizar o dinheiro aos cafeicultores”, disse ele, em nota.

A Nagro se evidencia como sendo a maior ligação dentre os cafeicultores aos agentes capacitados para o repasse, de forma 100% digital, conectando o produtor rural as melhores fontes para obtenção do Funcafé, a Nagro acompanha todas etapas do processo de crédito até sua liberação, sem contratação de serviços adicionais, o crédito é depositado diretamente na conta bancaria do cafeicultor, que apenas após a finalização do repasse realizará o pagamento de uma taxa mínima a Nagro.  O Fundo de defesa da economia cafeeira oferece até R$3.000.000,00 ao cafeicultor, com uma taxa de juros que se mostra muito atrativa em apenas 7% ao ano. O presidente do Conselho Nacional do café declarou, “Com os recursos do Funcafé podemos nos programar e diluir as vendas, aproveitando os picos do mercado e não nos vendo obrigados a comercializar em momentos de pressão”.

A linha de crédito promove que até o final de 2019 o repasse chegará a totalizar R$5,063 bilhões a todos agentes credenciados, faltando assim R$807 mil restantes a serem liberados, tal notícia demostra o otimismo perante cenários futuros na cafeicultura Brasileira.

por Thais Martins