25/06/2019

Novo Plano Safra traz novas opções de crédito para o produtor rural.

O Plano Safra 2019/2020 trouxe mecanismos que aumentam a oferta de crédito, reduzem custos financeiros e facilitam renegociação de dívidas.


Como descrito durante cerimônia no Palácio do Planalto " só a agricultura alimentando o Brasil e o mundo", o Plano Safra 2019/2020 foi anunciado nesta terça-feira, com R$225,59 bilhões para apoiar pequenos, médios e grandes produtores.

“A ênfase do Plano Safra 2019/2020 é para os pequenos e médios, que ainda precisam de apoio. Quero, desde já, destacar o esforço fiscal que este governo está fazendo em favor do setor ao lançar um Plano Safra. Pela primeira vez, o Tesouro Nacional disponibilizou mais recursos para a subvenção ao Programa de Agricultura Familiar (Pronaf) do que para os demais. São quase R$ 5,0 bilhões para equalizar juros destinados a esse público, um valor recorde. As taxas de juros foram mantidas em níveis que permitem o adequado suporte ao homem do campo: de 3% e 4,6% ao ano para pequenos – as menores do Plano Safra -; de 6% ao ano para médios e para os pequenos que não se enquadram no Pronaf; e de 8,0% para os demais,” Declarou a ministra  Tereza Cristina. 

undefined

Sobre um cenário que o agronegócio não esperava o anúncio foi motivo de ações positivas no segmento, e previsões de crescimento, o  valor total concedido foi de R$ 222,74 bilhões para crédito rural, sendo R$169,33 bilhões custeio, comercialização e industrialização. E os demais R$53,41 bilhões destinados para investimento, e o montante de R$1 bilhão para seguro rural e R$ 1,85 bilhão para apoio à comercialização.

Segundo a ministra, o aumento nos recursos atesta o compromisso do presidente Jair Bolsonaro com o setor agropecuária. “Aumentam os recursos para a agricultura de baixo carbono (Plano ABC), programas de inovação, tecnologia, irrigação, correção de solo e produção de leite, suínos e aves”, defendeu.

A  ministra  Tereza Cristina, finalizou a declaração do novo plano safra apoiando o segmento ao dizer Ao buscar as condições que nos transformem, cada vez mais, na potência agrícola e ambiental que podemos ser, temos certeza de que trabalhamos não em favor de único setor, mas em benefício de toda a sociedade brasileira. Pois investir na agropecuária é apostar na  interiorização do desenvolvimento, na integração regional, na estabilidade econômica, na geração de emprego e renda, na segurança alimentar, no superávit da nossa balança comercial. Enfim, na nossa prosperidade como nação.


por Thais Martins